Especial Futebol Feminino – Comparando homens e mulheres

Sugestão de Juliana Bourguignon

Muitos dirigentes de futebol são categóricos ao afirmar: o futebol feminino é o futuro do esporte. Entretanto, mesmo já desconsiderando o grande poder demagógico da frase, está nas suas entrelinhas a esperança de muitos de que o futebol feminino vá se igualar no futuro ao masculino. E essa comparação que você vê agora, clicando abaixo para ir para a seqüência do post.

Primeiro, é importante ressaltar que a comparação entre os dois sexos em diferentes esportes é antiga e inevitável, até mesmo para manter a lisura de igualdade de forças entre os participantes. Peguemos dois esportes distintos: basquete e hipismo.

Paula e Hortência podiam ter a mesma habilidade de Oscar no basquete, mas qual delas conseguiria lhe dar um toco?

No primeiro, é fundamental a separação entre gêneros, pois uma mulher dificilmente vai conseguir brigar por um rebote com um homem (altura, velocidade, força muscular, são alguns os fatores que influenciam). Já no hipismo, o caso é diferente. A capacidade de condução de um cavalo é a mesma entre homens e mulheres e, portanto, não há eventos separados por gêneros.

Gail Greenough, a canadense que foi a primeira mulher campeã mundial de saltos (em 1986) desde que a competição passou a ser mista.

O futebol, que também depende muito de força muscular para potência de chutes e velocidade dos atletas, além da diferença determinante de altura sobretudo para os goleiros, se encaixa no primeiro caso. Se levarmos a questão física para as 11 jogadoras contra 11 jogadores a diferença fica enorme.

Veja bem que tudo que falamos até aqui se refere a fatores físicos, não de habilidade. É claro que uma Marta pode ter muito mais habilidade que o Materazzi, mas ela conseguiria ganhar uma disputa corpo a corpo com o botineiro zagueiro italiano?

A habilidade de Marta e toda a "delicadeza" do estilo Materazzi.

Se analisarmos, o futebol feminino teve uma evolução notável desde a primeira Copa do Mundo, lá em 1991. Mas será que ele vai conseguir se igualar ao masculino? A resposta do Cultura FC é: não. À medida que as mulheres avançarem na parte física, os homens também avançarão. No jogo de futebol masculino hoje corre-se quase o dobro do que a 40 anos atrás.

E o mesmo ocorre em outros esportes. Enquanto os recordes de atletismo das mulheres avançaram muito, até igualar o de homens do passado, os dos homens sempre avançaram junto, nunca sendo  igualados.

Os recordistas dos 100m Usain Bolt (9,58s, 2009) e Florence Griffith Joyner (10,49s, 1988). O recorde feminino caiu mais desde o início da marcação eletrônica, mas está estagnado há 23 anos.

Entretanto, o Cultura FC acha que a pergunta feita é a errada. O correto seria: o futebol feminino precisa se igualar ao masculino para ser um ótimo esporte? E a resposta é: claro que não.

Peguemos o exemplo do vôlei. Uma partida entre mulheres é completamente distinta de uma entre homens. Neste, o jogo é mais físico, a bola mais forte deixa ele muito mais rápido. Isso nem sempre conta contra o feminino: nas mulheres, a bola mais lenta gera mais ralis, mais disputa. Existem táticas específicas para feminino e masculino, tornando o esporte diferente, mas atrativo nos dois gêneros.

A jogada "china", feita por Fabiana, praticamente só existe no vôlei feminino.

Assim tem que ser no futebol. As mulheres têm que trabalhar suas características próprias no jogo. Aproveitar a estatura das goleiras para ter uma maior média de gols, usar a beleza de um jogo mais cadenciado. Onde torcemos para que as mulheres se igualem aos homens é no respeito pela modalidade.

A alemã Nadine Angerer: o tamanho do gol não parece ser problema para ela.

Curiosidade

Já foi sugerido algumas adaptações no campo para a melhor prática do futebol feminino, com a diminuição das dimensões e também do gol (isso ocorre em outros esportes – no vôlei, a rede das mulheres é mais baixa). A Fifa vetou com uma alegação que, por incrível que pareça, é sensata: se as mulheres tivessem que jogar em campos específicos, diferentes dos que já existem em todo o mundo, a prática do esporte poderia ficar muito onerosa e diminuir.

Uma resposta to “Especial Futebol Feminino – Comparando homens e mulheres”

  1. Dedinhos Nervosos Says:

    Vogas, até conversamos sobre isso num dos nossos almoços, né? A comparação é absurda. Os 2 sexos são incomparáveis a começar pela força física. Já em modalidades como o hipismo, tiro, entre outros, acho que deveriam abrir mais o leque. Uma amiga minha ganhou o campeonato brasileiro de tiros da PF. O que precisamos de verdade é que as mulheres sejam respeitadas, valorizadas e incentivadas esportivamente, como os homens sempre foram.
    Bjão!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: