Projeto Estádios do Brasil em 2014 – AC, RO, AP e RR

Chegamos às nossas últimas paradas. Os confins do Brasil, nossos estados fronteiriços do norte, podem ser os mais desconhecidos do grande público, mas o Cultura mostra que eles também tem bons projetos e, inclusive, já está de pé por lá um dos mais modernos estádios do país. Siga o resto do post e surpreenda-se.

Acre

Quando Rio Branco saiu candidata a ser cidade-sede da Copa de 2014, poucas pessoas acreditavam no seu sucesso, inclusive seus apoiadores. Conseguiram, entretanto, colocar a capital acriana em foco, e mostrar uma das suas mais belas jóias ao Brasil: o moderno estádio Arena da Floresta. E tem mais projetos por lá.

 

– Arena da Floresta

Onde? Rio Branco

Recorde de público: 20.000 (Rio Branco 2 x 1 Brasil Sub-20, 2006)

Capacidade atual: 20.000

Capacidade após a reforma: 42.000

Categoria (após a reforma): Alto padrão

Possibilidade de sair do papel: Média-baixa (ao ser preterida como sede, o prazo do Governo para a ampliação passou de 3 para 10 anos)

 

– Arena do Juruá

Onde? Cruzeiro do Sul

Recorde de público: ? (inaugurada ainda este ano)

Capacidade atual: 5.000

Capacidade após a reforma: 10.000

Categoria (após a reforma): Atende as necessidades locais

Possibilidade de sair do papel: Baixa (a ampliação, já prevista no projeto, pode demorar a sair se o estádio ficar sem demanda)

 

Outros estádios

– José de Melo (Rio Branco): principal estádio do estado antes da inauguração da Arena da Floresta em 2006, é de propriedade do Rio Branco FC e tem capacidade para 6.000 pessoas.

– Naborzão (Senador Guiomard): principal estádio do interior até a inauguração da Arena do Juruá, tem capacidade para 4.000 espectadores.

 

Rondônia

A própria Federação de Rondônia afirmou: Porto Velho é a única capital do Brasil sem condições de receber jogos nacionais. Não foi rigoroso consigo, seu único estádio realmente é pequeno e defasado (talvez foi apenas generoso demais com Boa Vista e, com a atual reforma de seus estádios principais, Vitória, Macapá e Teresina). Por isso, políticos locais correm com o projeto de uma nova praça para a cidade.

 

– Terceiro Milênio

Onde? Porto Velho

Capacidade após a construção: 40.000

Categoria (após a reforma): Excede as necessidades locais (risco de ser um elefante branco)

Possibilidade de sair do papel: Média (o governo contratou o projeto e a cidade realmente necessita de um novo estádio – embora tenham exagerado na sua capacidade)

 

Outros estádios

– Aluizão (Porto Velho): atualmente o principal e único estádio da capital (mas não do estádio), conta com estrutura antiga para apenas 4.000 pessoas, o que mostra a necessidade de um novo estádio na cidade.

– Biancão (Ji-Paraná): com capacidade para 5.000 pessoas, já foi o maior centro do futebol do estado, mas hoje todas as equipes da cidade estão licenciadas.

– Portal da Amazônia (Vilhena): com capacidade para 7.000 pessoas, é hoje um dos maiores do estado e casa do Vilhena, que ganhou espaço no cenário local.

– Aglair Tonelli (Cacoal): com capacidade estimada em 8.000 pessoas, é talvez o maior do estado hoje.

 

Amapá

Macapá tem um dos estádios mais curiosos do mundo, o Zerão. Pela antiga marcação de latitude, cada metade do campo ficava em um hemisfério, norte e sul (métodos modernos mostram que o Equador passa um pouco ao lado). Entretanto, a reforma e ampliação do Zerão se estende por longos anos e segue indefinida, e o estado conta com poucos estádios para suprir essa ausência.

 

– Zerão

Onde? Macapá

Recorde de público: 10.000 (Independente 1 x 0 Trem, 1990)

Capacidade atual: 10.000

Capacidade após a reforma: 20.000

Categoria (após a reforma): Atende às necessidades locais

Possibilidade de sair do papel: Média-baixa (as obras estão em curso há anos, e seguem indefinidas – pode ser que sejam entregues sem nem começar o segundo lance de arquibancadas previsto)

 

Imagem do projeto do Zerão não encontrada.

– Glicério Marques

Onde? Macapá

Recorde de público: ?

Capacidade atual: 5.600

Capacidade após a reforma: 15.000

Categoria (após a reforma): Atende às necessidades locais

Possibilidade de sair do papel: Baixa (se não acabaram nem as obras que já começaram no Zerão, a perspectiva para o início das obras do Glicério Marques não são boas; e fica a pergunta, fechando os dois estádios, onde os times de Macapá vão jogar?)

 

Outros estádios

– Augusto Antunes (Santana, RM Macapá): localizado na cidade de Santana, o estádio que atende ao clube homônimo tem capacidade para 3.000 torcedores.

– Videirão (Mazagão): maior do interior e um dos poucos utilizados no campeonato do estado, tem capacidade para 2.000 pessoas.

 

Roraima

Poucos campos em Roraima podem ser ditos como estádios. Tivemos que pesquisar bastante para achar algum no interior. E, embora o futebol local seja um dos de menor expressão do país (nenhum time se apresentou para nenhuma série no ano passado, por exemplo), isso não impede os roraimenses de sonhar com dias melhores.

 

– Canarinho

Onde? Boa Vista

Recorde de público: 9.980 (São Raimundo RR 0 x 2 Rio Branco AC, ?)

Capacidade atual: 6.000

Capacidade após a reforma: 21.200

Categoria (após a reforma): Atende às necessidades locais

Possibilidade de sair do papel: Média-baixa (o dinheiro das obras estão suspensos pelo Ministério Público)

 

Outros estádios

– Ribeirão (Boa Vista): segundo estádio da cidade, tem capacidade para 3.000 pessoas.

– Municipal (Mucajaí): única cidade do interior a já ter colocado um time no estadual, o Progresso, seu estádio tem capacidade para 1.000 pessoas, apenas, e nunca foi usado em jogos oficiais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: