Projeto Estádios do Brasil em 2014 – DF, GO, MT e MS

A nossa série chega ao Centro-Oeste, onde a disputa para sediar a Copa foi intensa. Cuiabá e Brasília saíram vencedores, mas Campo Grande e Goiânia também tinham belos projetos. Quem vai sair do papel? Confira seguindo o restante do post.

Distrito Federal

Brasília conta com uma das melhores estruturas já prontas para receber a Copa e, inclusive, se adiantou aos preparativos transformando o Bezerrão em um estádio moderno, para servir de apoio ao Novo Mané Garrincha (ou Estádio Nacional, já em obras). Porém, o baixo público do futebol local preocupa e já foi sugerido que o futuro estádio fosse menor. A nossa capital parece não ouvir, e Brasília tem em mãos um dos possíveis elefantes brancos do pós-Copa.

 

– Mané Garrincha ou, no futuro, Nacional (estádio da Copa)

Onde? Plano Piloto, Brasília

Recorde de público: 51.000 (Gama 3 x 0 Londrina, 1998)

Capacidade atual: 42.000

Capacidade após a reforma: 70.000

Categoria (após a reforma): Estádio de ponta com potencial para elefante branco

Possibilidade de sair do papel: Alta (obras em andamento)

 

Outros estádios:

– Bezerrão (Gama, Brasília): modernizado em 2008 já como preparativo de Brasília para a Copa, comporta confortavelmente 20.000 pessoas, tamanho ideal para os campeonatos locais.

– Serejão ou Boca do Jacaré (Taguatinga, Brasília): local onde o Brasiliense manda seus jogos, a Boca do Jacaré tem capacidade para 30.000 pessoas.

 

Goiás

Goiânia é a cidade do Centro-Oeste com maior tradição no futebol, mas ficou de fora da Copa. O plano de modernização do Serra Dourada, outrora considerado o melhor estádio do país, parece agora um sonho distante.

 

– Serra Dourada

Onde? Goiânia

Recorde de público: 79.610 (Seleção GO 2 x 1 Portugal, 1975)

Capacidade atual: 50.000

Capacidade após a reforma: 42.000

Categoria (após a reforma): Estádio de ponta

Possibilidade de sair do papel: Média-baixa (após ser preterida da Copa, Goiânia já fez reformas padrões no estádio e não demonstra grande interesse em fazer algo maior)

 

– Serrinha

Onde? Goiânia

Recorde de público: 15.000 (Goiás 1 x 1 ABC, 2000)

Capacidade atual: 6.600

Capacidade após a reforma: 12.000

Categoria (após a reforma): Atender a jogos pequenos do Goiás

Possibilidade de sair do papel: Média-baixa (o Goiás lançou as intenções, mas não tirou nada do papel ainda)

 

Outros estádios

– Antônio Accioly (Goiânia): de posse do Atlético Goianiense, tem capacidade de 8.000 e só é usado em jogos menores do clube.

– OBA (Goiânia): também usado apenas em jogos menores de seu proprietário, o Vila Nova, o OBA tem capacidade de 7.000 pessoas.

– Jonas Duarte (Anápolis): importante cidade do interior, Anápolis tem um estádio para 17.000 pessoas.

– Genervino da Fonseca (Catalão): estádio onde o CRAC manda seus jogos, tem capacidade para 12.000 pessoas.

– JK (Itumbiara): maior do interior, o estádio de Itumbiara comporta até 30.000.

 

Mato Grosso

Mato Grosso jamais ganhou qualquer divisão do Campeonato Brasileiro. Seus clubes não atraem público e, por isso, o Verdão da Copa de 2014 preocupa. Entretanto, diferentemente de Brasília, a capacidade do maior estádio de Cuiabá não será muito maior do que a já existente: o desafio é, então, trazer mais torcedores até ele. Outro ponto positivo do estado é o projeto de converter o Centro de Treinamento de Várzea Grande (vizinha a Cuiabá) em um estádio modesto, mas confortável, no pós-Copa.

 

– Verdão (estádio da Copa)

Onde? Cuiabá

Recorde de público: 49.324 (Mixto 2 x 0 Dom Bosco, 1980)

Capacidade atual: 40.000

Capacidade após a reforma: 42.500

Categoria (após a reforma): Estádio de ponta com potencial para elefante branco

Possibilidade de sair do papel: Alta (obras em andamento)

 

Outros estádios

– Dutrinha (Cuiabá): estádio secundário da capital mato-grossense com capacidade para 7.000 pessoas.

– Gigante do Norte (Sinop): estádio do norte do estado, com capacidade para 13.000 pessoas.

– Passo das Emas (Lucas do Rio Verde): local de mando de jogos do Luverdense, tem capacidade para 4.000 pessoas.

– Caldeirão (Rondonópolis): maior estádio do interior, tem capacidade para 18.000 pessoas.

– CT Estádio (Várzea Grande): o CT que será construído em Várzea Grande vai virar estádio após a Copa, com capacidade aproximada de 10.000 pessoas. Não localizamos imagens do projeto.

 

Mato Grosso do Sul

Cuiabá e Campo Grande quase fizeram uma guerra declarada na disputa por ser sede: as duas não ficariam de fora juntas por causa da posição estratégica do Pantanal, e nem seriam escolhidas juntas. O poder político de Cuiabá venceu, e o bonito projeto do Morenão (que já é um estádio de respeito) não deve sair do papel em futuro próximo.

 

– Morenão

Onde? Campo Grande

Recorde de público: 38.122 (Operário 2 x 0 Palmeiras, 1978)

Capacidade atual: 45.000

Capacidade após a reforma: 44.000

Categoria (após a reforma): Estádio de ponta com potencial para elefante branco

Possibilidade de sair do papel: Baixo (após ser preterida como sede, a cidade de Campo Grande parece ter engavetado o projeto; entretanto, melhorias paliativas foram feitas para um jogo da seleção em 2009).

 

Outros estádios

– Moreninhas (Campo Grande): estádio secundário da capital, tem capacidade atual reduzida, de apenas 4.500 pessoas.

– Artur Marinho (Corumbá): com capacidade para 15.000 pessoas, é a casa do Corumbaense, antigo clube do estado.

– Douradão (Dourados): maior estádio do interior, o Douradão tem capacidade nominal de 30.000 pessoas (embora o recorde tenha sido de 18.000 presentes).

 

 

Distrito Federal

 

– Mané Garrincha ou, no futuro, Nacional (estádio da Copa)

Onde? Plano Piloto, Brasília

Recorde de público: 51.000 (Gama 3 x 0 Londrina, 1998)

Capacidade atual: 42.000

Capacidade após a reforma: 70.000

Categoria (após a reforma): Estádio de ponta com potencial para elefante branco

Possibilidade de sair do papel: Alta (obras em andamento)

 

Outros estádios:

– Bezerrão (Gama, Brasília): modernizado em 2008 já como preparativo de Brasília para a Copa, comporta confortavelmente 20.000 pessoas, tamanho ideal para os campeonatos locais.

– Serejão ou Boca do Jacaré (Taguatinga, Brasília): local onde o Brasiliense manda seus jogos, a Boca do Jacaré

 

Goiás

 

– Serra Dourada

Onde? Goiânia

Recorde de público: 79.610 (Seleção GO 2 x 1 Portugal, 1975)

Capacidade atual: 50.000

Capacidade após a reforma: 42.000

Categoria (após a reforma): Estádio de ponta

Possibilidade de sair do papel: Média-baixa (após ser preterida da Copa, Goiânia já fez reformas padrões no estádio e não demonstra grande interesse em fazer algo maior)

 

– Serrinha

Onde? Goiânia

Recorde de público: 15.000 (Goiás 1 x 1 ABC, 2000)

Capacidade atual: 6.600

Capacidade após a reforma: 12.000

Categoria (após a reforma): Atender a jogos pequenos do Goiás

Possibilidade de sair do papel: Média-baixa (o Goiás lançou as intenções, mas não tirou nada do papel ainda)

 

Outros estádios

– Antônio Accioly (Goiânia): de posse do Atlético Goianiense, tem capacidade de 8.000 e só é usado em jogos menores do clube.

– OBA (Goiânia): também usado apenas em jogos menores de seu proprietário, o Vila Nova, o OBA tem capacidade de 7.000 pessoas.

– Jonas Duarte (Anápolis): importante cidade do interior, Anápolis tem um estádio para 17.000 pessoas.

– Genervino da Fonseca (Catalão): estádio onde o CRAC manda seus jogos, tem capacidade para 12.000 pessoas.

– JK (Itumbiara): maior do interior, o estádio de Itumbiara comporta até 30.000.

 

Mato Grosso

 

– Verdão (estádio da Copa)

Onde? Cuiabá

Recorde de público: 49.324 (Mixto 2 x 0 Dom Bosco, 1980)

Capacidade atual: 40.000

Capacidade após a reforma: 42.500

Categoria (após a reforma): Estádio de ponta com potencial para elefante branco

Possibilidade de sair do papel: Alta (obras em andamento)

 

Outros estádios

– Dutrinha (Cuiabá): estádio secundário da capital mato-grossense com capacidade para 7.000 pessoas.

– Gigante do Norte (Sinop): estádio do norte do estado, com capacidade para 13.000 pessoas.

– Passo das Emas (Lucas do Rio Verde): local de mando de jogos do Luverdense, tem capacidade para 4.000 pessoas.

– Caldeirão (Rondonópolis): maior estádio do interior, tem capacidade para 18.000 pessoas.

– CT Estádio (Várzea Grande): o CT que será construído em Várzea Grande vai virar estádio após a Copa, com capacidade aproximada de 10.000 pessoas. Não localizamos imagens do projeto.

 

Mato Grosso do Sul

 

– Morenão

Onde? Campo Grande

Recorde de público: 38.122 (Operário 2 x 0 Palmeiras, 1978)

Capacidade atual: 45.000

Capacidade após a reforma: 44.000

Categoria (após a reforma): Estádio de ponta com potencial para elefante branco

Possibilidade de sair do papel: Baixo (após ser preterida como sede, a cidade de Campo Grande parece ter engavetado o projeto; entretanto, melhorias paliativas foram feitas para um jogo da seleção em 2009).

 

Outros estádios

– Moreninhas (Campo Grande): estádio secundário da capital, tem capacidade atual reduzida, de apenas 4.500 pessoas.

– Artur Marinho (Corumbá): com capacidade para 15.000 pessoas, é a casa do Corumbaense, antigo clube do estado.

– Douradão (Dourados): maior estádio do interior, o Douradão tem capacidade nominal de 30.000 pessoas (embora o recorde tenha sido de 18.000 presentes).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: