Projeto Estádios do Brasil em 2014 – PR e SC

O Cultura “desembarca” em mais dois estados; um deles, o primeiro da série que foi um dos preteridos na escolha das sedes da Copa de 2014. Conheça os principais estádios e projetos de Paraná e Santa Catarina.

Paraná

Muita qualidade, bons projetos, mas pouca definição. O Paraná era uma das sedes consideradas certas quando da escolha, mas entra o ano de 2011 sem nem saber quando vai começar a reforma em seu estádio escolhido para o evento, a Arena da Baixada.

 

– Arena da Baixada (estádio da Copa)

Onde? Curitiba

Recorde de público: 34.514 (Atlético PR 1 x 2 Cruzeiro, 2002)

Capacidade atual: 25.180

Capacidade após a reforma: 42.000

Categoria (após a reforma): Estádio de ponta

Possibilidade de sair do papel: Média-Alta (obstáculos nas obras, mas que devem ser superadas para o estádio estar na Copa)

– Couto Pereira

Onde? Curitiba

Recorde de público: 67.391 (Atlético PR 2 x 1 Flamengo, 1980)

Capacidade atual: 37.182

Capacidade após a reforma: 42.000

Categoria (após a reforma): Estádio de ponta

Possibilidade de sair do papel: Média (parceria fechada com empreiteira)

– Durival Britto, ou Vila Capanema (palco da Copa de 1950)

Onde? Curitiba

Recorde de público: 24.303 (Atlético PR 3 x 2 Santos, 1968)

Capacidade atual: 20.000

Capacidade após a reforma: 25.000

Categoria (após a reforma): Atende às necessidades locais

Possibilidade de sair do papel: Média-Baixa (acordo firmado em parceria entre Governo, Paraná e Atlético para receber os jogos durante as obras da Arena da Baixada, mas o Atlético disse que não investiria muito na Vila).

Outros estádios

– Pinheirão (Curitiba): o eterno plano B dos times grandes, tem estrutura razoável, mas no momento está abandonado. Tem capacidade para 35.000 pessoas.

– Vila Olímpica (Curitiba): estádio das divisões de base do Paraná, tem capacidade boa e também é cotado para o período de obras dos outros estádios. Capacidade: 18.500.

– Estádio do Café (Londrina): já recebeu a seleção brasileira. Sofre, atualmente, com a crise do Londrina, time da cidade. Capacidade: 32.000.

– Willie Davis (Maringá): estádio utilizado por clubes paulista com freqüência, também não tem um time forte que mande seus jogos nele. Capacidade: 21.600.

– Olímpico Regional (Cascavel): com capacidade para 28.000 pessoas, o estádio também não tem grandes eventos durante o ano, ficando um pouco de lado.

Santa Catarina

Florianópolis foi candidata a ser sede da Copa com uma premissa: sendo escolhida ou não, faria uma arena no padrão Fifa mesmo assim. E agora que a cidade realmente foi preterida?Seguem os projetos do estado (que ainda estão no papel). Detalhe: Santa Catarina já tem estádios muito bons.

 

– Orlando Scarpelli, ou, no futuro, Arena Florianópolis

Onde? Florianópolis

Recorde de público: 26.660 (Figueirense 0 x 1 Vasco, 1975)

Capacidade atual: 19.000

Capacidade após a reforma: 30.000 ou 42.000

Categoria (após a reforma): Estádio de ponta

Possibilidade de sair do papel: Média (a diretoria mantém interesse na obra, que pode diminuir para 30.000 pessoas sem a Copa, mas nada foi fechado ainda).

– Ressacada

Onde? Florianópolis

Recorde de público: 25.735 (Avaí 2 x 1 Blumenau, 1988)

Capacidade atual: 17.800

Capacidade após a reforma: 30.000

Categoria (após a reforma): Atende às necessidades locais

Possibilidade de sair do papel: Média (projeto apresentado, mas ainda não saiu nada do papel desde a última reforma)

– Estádio do Sesi

Onde? Blumenau

Recorde de público: ?

Capacidade atual: 4.500

Capacidade após a reforma: 30.000

Categoria (após a reforma): Possibilidade de ser um elefante branco (ultrapassa as necessidades locais)

Possibilidade de sair do papel: Média (projeto apresentado)

– Arena Condá

Onde? Chapecó

Recorde de público: ?

Capacidade atual: 15.000

Capacidade após a reforma: 25.000

Categoria (após a reforma): Possibilidade de ser um elefante branco (ultrapassa as necessidades locais)

Possibilidade de sair do papel: Alta (em ampliação desde 2008, quando o antigo estádio Índio Condá foi demolido)

Outros estádios

– Arena Joinville (Joinville): estádio do Joinville remodelado recentemente, tem estrutura de ponta e hoje é o maior do estado, com capacidade para 22.000 pessoas.

 

A terceira fase da obra de remodelação (à direita) não tem data para começar.

– Heriberto Hulse (Criciúma): estádio também com boa estrutura e capacidade para 22.000 pessoas.

 

Paraná

Muita qualidade, bons projetos, mas pouca definição. O Paraná era uma das sedes consideradas certas quando da escolha, mas entra o ano de 2011 sem nem saber quando vai começar a reforma em seu estádio escolhido para o evento, a Arena da Baixada.

 

– Arena da Baixada (estádio da Copa)

Onde? Curitiba

Recorde de público: 34.514 (Atlético PR 1 x 2 Cruzeiro, 2002)

Capacidade atual: 25.180

Capacidade após a reforma: 42.000

Categoria (após a reforma): Estádio de ponta

Possibilidade de sair do papel: Média-Alta (obstáculos nas obras, mas que devem ser superadas para o estádio estar na Copa)

 

– Couto Pereira

Onde? Curitiba

Recorde de público: 67.391 (Atlético PR 2 x 1 Flamengo, 1980)

Capacidade atual: 37.182

Capacidade após a reforma: 42.000

Categoria (após a reforma): Estádio de ponta

Possibilidade de sair do papel: Média (parceria fechada com empreiteira)

 

– Durival Britto, ou Vila Capanema (palco da Copa de 1950)

Onde? Curitiba

Recorde de público: 24.303 (Atlético PR 3 x 2 Santos, 1968)

Capacidade atual: 20.000

Capacidade após a reforma: 25.000

Categoria (após a reforma): Atende às necessidades locais

Possibilidade de sair do papel: Média-Baixa (acordo firmado em parceria entre Governo, Paraná e Atlético para receber os jogos durante as obras da Arena da Baixada, mas o Atlético disse que não investiria muito na Vila).

 

Outros estádios

– Pinheirão (Curitiba): o eterno plano B dos times grandes, tem estrutura razoável, mas no momento está abandonado. Tem capacidade para 35.000 pessoas.

– Vila Olímpica (Curitiba): estádio das divisões de base do Paraná, tem capacidade boa e também é cotado para o período de obras dos outros estádios. Capacidade: 18.500.

– Estádio do Café (Londrina): já recebeu a seleção brasileira. Sofre, atualmente, com a crise do Londrina, time da cidade. Capacidade: 32.000.

– Willie Davis (Maringá): estádio utilizado por clubes paulista com freqüência, também não tem um time forte que mande seus jogos nele. Capacidade: 21.600.

– Olímpico Regional (Cascavel): com capacidade para 28.000 pessoas, o estádio também não tem grandes eventos durante o ano, ficando um pouco de lado.

 

Santa Catarina

Florianópolis foi candidata a ser sede da Copa com uma premissa: sendo escolhida ou não, faria uma arena no padrão Fifa mesmo assim. E agora que a cidade realmente foi preterida?Seguem os projetos do estado (que ainda estão no papel). Detalhe: Santa Catarina já tem estádios muito bons.

 

– Orlando Scarpelli (projeto para Arena Florianópolis no futuro)

Onde? Florianópolis

Recorde de público: 26.660 (Figueirense 0 x 1 Vasco, 1975)

Capacidade atual: 19.000

Capacidade após a reforma: 30.000 ou 42.000

Categoria (após a reforma): Estádio de ponta

Possibilidade de sair do papel: Média (a diretoria mantém interesse na obra, que pode diminuir para 30.000 pessoas sem a Copa, mas nada foi fechado ainda).

 

– Ressacada

Onde? Florianópolis

Recorde de público: 25.735 (Avaí 2 x 1 Blumenau, 1988)

Capacidade atual: 17.800

Capacidade após a reforma: 30.000

Categoria (após a reforma): Atende às necessidades locais

Possibilidade de sair do papel: Média (projeto apresentado, mas ainda não saiu nada do papel desde a última reforma)

 

– Estádio do Sesi

Onde? Blumenau

Recorde de público: ?

Capacidade atual: 4.500

Capacidade após a reforma: 30.000

Categoria (após a reforma): Possibilidade de ser um elefante branco (ultrapassa as necessidades locais)

Possibilidade de sair do papel: Média (projeto apresentado)

 

– Arena Condá

Onde? Chapecó

Recorde de público: ?

Capacidade atual: 15.000

Capacidade após a reforma: 25.000

Categoria (após a reforma): Possibilidade de ser um elefante branco (ultrapassa as necessidades locais)

Possibilidade de sair do papel: Alta (em ampliação desde 2008, quando o antigo estádio Índio Condá foi demolido)

 

Outros estádios

– Arena Joinville (Joinville): estádio remodelado do Joinville, tem estrutura de ponta e hoje é o maior do estado, com capacidade para 22.000 pessoas.

– Heriberto Hulse (Criciúma): estádio também com boa estrutura e capacidade para 22.000 pessoas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: