Projeto Estádios do Brasil em 2014 – MG e RS

Vista do entorno do Novo Mineirão.

Mais dois estados que, antes mesmo da escolhas da sede, eram figuras carimbadas da Copa de 2014. E se um estádio de alto nível para o mundial já é muito bom, veja os outros projetos mais avançados de mineiros e gaúchos.

Minas Gerais

Belo Horizonte conta com duas das torcidas que mais freqüentam estádios no Brasil, e cruzeirenses e atleticanos dividem o mesmo espaço: o Mineirão. Nada melhor para o público do que a reforma desse templo sagrado, e que acabará beneficiando alguns estádios interior a fora (os de Ipatinga, Sete Lagoas e Uberlândia já largaram na frente para receber as cadeiras retiradas do Mineirão). O estado só teve um problema de planejamento: se no Rio, Flamengo e Fluminense, órfãos do Maracanã, tinham o Engenhão como opção, em Minas o Novo Independência, do América, não ficou pronto a tempo de evitar que os clubes da capital tivessem que jogar longe do núcleo de suas torcidas.

 

– Mineirão (estádio da Copa)

Onde? Belo Horizonte

Recorde de público: 199.854 (Brasil 1 x 2 Uruguai, 1950)

Capacidade atual: 75.783

Capacidade após a reforma: 70.000

Categoria (após a reforma): Estádio de ponta

Possibilidade de sair do papel: Alta (obras em andamento)

– Independência (palco da Copa de 1950)

Onde? Belo Horizonte

Recorde de público: 32.721 (Seleção de MG 1 x 0 Seleção da GB, 1963)

Capacidade atual: 15.000

Capacidade após a reforma: 25.000

Categoria (após a reforma): Atende bem às necessidades

Possibilidade de sair do papel: Alta (obras em fase avançada)

– Uberabão

Onde? Uberaba

Recorde de público: 32.700 (Uberaba 2 x 4 Cruzeiro, 1976)

Capacidade atual: 25.000

Capacidade após a reforma: 30.000

Categoria (após a reforma): Atende bem às necessidades

Possibilidade de sair do papel: Baixa (ainda em projeto)

Outros estádios

– Parque do Sabiá (Uberlândia): o maior estádio do interior do Brasil. Tem estrutura para receber clássicos e Seleção (o que já ocorreu). Sua capacidade de 50.000 pode cair um pouco ao receber as cadeiras do Mineirão, mas vai ficar mais confortável.

– Ipatingão (Ipatinga): na fila para receber as cadeiras do Mineirão e se modernizar, o Ipatingão tem capacidade atual de 20.500 pessoas.

– Arena do Jacaré (Sete Lagoas): reformado às pressas em 2010 com o atraso das obras no Independência, o estádio de Sete Lagoas comporta confortavelmente 18.000 pessoas.

– Mário Heleno (Juiz de Fora): com capacidade boa (35.000), uma particularidade do Mário Heleno é que, pela proximidade de Juiz de Fora com o Rio, ele é visto mais como opção pelos grandes cariocas do que os de Minas.

– Mamudão (Governador Valadares): embora Valadares seja uma cidade importante do interior de Minas, seu estádio é pequeno e antigo (capacidade de 5.500 pessoas).

 

Rio Grande do Sul

Um projeto que puxou o outro. Ninguém sabe quem planejou primeiro, mas gremistas e colorados não iam ter seus estádios passados para trás pelo do seu maior rival. Resultado: Porto Alegre vai receber duas arenas modernas. Entretanto, não achamos projetos em cidades do interior, como Caxias do Sul, que poderia receber seleções para treinamentos.

 

– Beira-Rio (estádio da Copa)

Onde? Porto Alegre

Recorde de público: 106.554 (Brasil 3 x 3 Seleção do RS, 1972)

Capacidade atual: 60.000

Capacidade após a reforma: 65.000

Categoria (após a reforma): Estádio de ponta

Possibilidade de sair do papel: Alta (obras em andamento)

– Olímpico

Onde? Porto Alegre

Recorde de público: 98.471 (Grêmio 0 x 1 Ponte Preta, 1981)

Capacidade atual: 45.000

Capacidade após a reforma: 52.000

Categoria (após a reforma): Estádio de ponta

Possibilidade de sair do papel: Alta (obras em andamento)

Obs.: A Nova Arena Tricolor não é uma reforma. O estádio está sendo construído em outro lugar de Porto Alegre enquanto o Grêmio manda seus jogos no Olímpico.

Outros estádios

– Alfredo Jaconi (Caxias do Sul): com capacidade para 23.700 pessoas, o estádio do Juventude é um dos melhores do interior.

– Centenário (Caxias do Sul): para 30.800 pessoas, o estádio do Caxias é o maior e um dos mais adequados do interior, junto com o seu rival Alfredo Jaconi.

– Baixada (Pelotas): com capacidade para 18.000 pessoas, o estádio da Baixada é o maior do sul gaúcho.

– Complexo Esportivo Ulbra (Canoas): estádio moderno, o Complexo de Canoas comporta bem 10.000 pessoas.

– Colosso do Trevo (Rio Grande): com capacidade para 15.000, o maior estádio de Rio Grande já é bem ultrapassado.

– Estrela D’Alva (Bagé): estádio para 10.000 pessoas em Bagé, antigo e acanhado.

– Estádio dos Eucaliptos (Porto Alegre): estádio de importância histórica, foi a sede gaúcha da Copa de 1950. Tinha capacidade para 20.000 pessoas e pertencia ao Inter como opção para treinamentos, mas foi vendido em 2010 para financiar as obras do Beira-Rio.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: