Folha de São Paulo critica Novo Kléber Andrade

O Cultura F. C. vem fazer coro à Coluna Gol que saiu nesta segunda-feira (27) em A Gazeta. Como falou o jornalista Thierry Gozzer, devemos criticar e muito o futebol do Espírito Santo, mas há que se fazer as devidas ressalvas ao que parece andar bem. No restante do post, veja por que o Cultura aprova o projeto do Novo Kléber Andrade.

No último domingo a reportagem da Folha de São Paulo, que faz série sobre como cidades fora da Copa de 2014 pretendem se aproveitar do mundial, criticou duramente ao projeto do Kléber Andrade. Entre os pontos, estavam que o estádio não segue o caderno de encargos da FIFA de qualidade, possuindo, por exemplo, pista de atletismo entre a arquibancada e a torcida. Ora, sejamos sinceros, Vitória é uma cidade importante e que cresce a passos largos, mas não tem condição de sediar uma Copa, e por isso mesmo sequer se candidatou a sede. Então por que o Governo do Espírito Santo – responsável pelas obras – deveria se preocupar com o caderno de encargos da FIFA? Será que a Folha de São Paulo queria que fosse feito um outro estádio só para atletismo e duplicar os custos públicos?

O projeto pode não ser o suprassumo de arenas de futebol no mundo (por exemplo, é quase certo que usará grama sintética), mas está perfeitamente adequado em tamanho, conforto, pretensão de usos (futebol, shows e atletismo) e manutenção prevista à realidade capixaba. Se ele vai ser superfaturado ou atrasar (suspeitas que tem fundamento histórico), e um problema de execução, não de projeto. Por isso, consideramos que ao menos o planejamento do Novo Kléber Andrade é um bom exemplo a ser seguido no Brasil pelas cidades que não receberão jogos da Copa: investimento em qualidade para sua população, sem criar um elefante branco.

4 Respostas to “Folha de São Paulo critica Novo Kléber Andrade”

  1. Douglas Anholeti Says:

    Vale ressaltar que a FIFA também está diminuindo as medidas dos gramados, seguindo o modelo europeu. O Maracanã, por exemplo, para atender às exigências dela para 2014, ficará menor que a Vila Belmiro. Nunca um gigante esteve tão pequeno…

  2. Jirlan Biazatti Says:

    O que não consegui engolir ainda foi o preço final da reforma do Klebão: 100 milhões de reais. Sou vizinho do Bezerrão, e é incrível o nível do estádio, que custou 55 milhões, isso por que foi super faturado. Não concordo com todas as críticas feitas pela Folha, mas o projeto do nosso estádio tem muita coisa errada, isso é fato…

    • Cultura Futebol Clube Says:

      Realmente, vale ressaltar que nos ativemos aos detalhes técnicos do projeto. Como bem disse o Jirlan, é possível (e, pelo histórico dos políticos, até provável) que haja problemas nos gastos.

      Valeu pela colaboração.

  3. Pedro Says:

    Em vista das atuais necessidades do nosso estado, vejo o projeto do Kleber Andrade como uma solução viável e não tão cara. Se estão reclamando dos 100 milhões desse estádio, vejam os orçamentos dos outros da copa, quase um bilhão para reformar o Maracanã. Isso sim é um absurdo!
    >Entrem na comunidade “O novo Kleber Andrade” no orkut.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: