Campeonato Fluminense: o estadual esquecido

Como já falamos, o desenvolvimento do futebol no Brasil foi marcado por uma organização singular muito importante devido ao tamanho do país e que permanece viva ainda hoje: os Campeonatos Estaduais. E em qualquer site de estatística – uns com mais precisão, outros com fontes duvidosas – é possível achar os campeões de todos os 27 estaduais do Brasil. À primeira vista não parece existir nada de incorreto nessa frase, todo mundo sabe que o Brasil tem 27 unidades de federação. Mas nem sempre foi assim. Enquanto vários estados e territórios foram criados, em um caso especial dois estados viraram um só. E com a fusão da cidade do Rio de Janeiro (Estado da Guanabara) ao restante do Estado do Rio de Janeiro em 1975, um importante capítulo da história do futebol brasileiro foi deixado às traças em algum arquivo da FERJ. Conheça agora um pouco da história do Campeonato Fluminense, o estadual esquecido.

Para falar do Campeonato Fluminense, primeiro é preciso lembrar das aulas de história e geografia. Em 1834 a cidade do Rio de Janeiro era capital do Brasil e da província do Rio de Janeiro, quando o governo imperial decidiu que a capital nacional seria Município Neutro. Assim, a capital da Província do Rio de Janeiro passou a ser Niterói. Com a República, o Município Neutro passou a se chamar Distrito Federal e a Província, Estado. E com poucas mudanças, essa situação perdurou até 1960 quando, com a inauguração de Brasília, o Rio de Janeiro (a cidade) passou a ser um estado à parte, a Guanabara. E, terminando o resumo do resumo, finalmente em 1975 os estados da Guanabara e do Rio de Janeiro se fundiram, com a capital estadual se mudando de Niterói para a cidade do Rio de Janeiro.

Estado do Rio de Janeiro de 1960 a 1975 (capital Niterói em destaque), cercado pelos seus vizinhos: Espírito Santo, São Paulo, Minas Gerais e… Estado da Guanabara, que tinha apenas uma cidade: o Rio de Janeiro.

Mas depois disso tudo pare e pense com seus conhecimentos futebolísticos agora. O Campeonato Carioca existe desde 1906. O Estado, logo ali do lado, ficaria tanto tempo sem o seu estadual? Claro que não. Ele existiu. E não demorou a começar. Em 1915 a Liga Sportiva Fluminense (LSF) coroaria seu primeiro campeão, o Ararigboya de Niterói. Então por que ninguém se lembra disso? É o que tentaremos explicar agora.

O Rio de Janeiro (cidade) era a capital federal na época do desenvolvimento do futebol no Brasil. Era a vitrine do Brasil, e no futebol não foi diferente. Com o desenvolvimento dos meios de comunicação e do jornalismo esportivo, em pouco tempo as narrações dos jogos do Campeonato Carioca foram as primeiras a atingir o país inteiro. Em todo lugar surgiam flamenguistas, fluminenses, vascaínos, botafoguenses, americanos, e é por isso que o Campeonato Carioca continua a ser o mais assistido no Brasil fora de seu próprio estado. Isso ocorreu na época em que não se podia ver seus times. Mas em um estado isso era possível com menos de 2 horas de viagem. O Estado do Rio de Janeiro.

Canto do Rio de 1947 – o clube mais popular de Niterói conseguiu liberação especial para disputar o Campeonato Carioca a partir de 1941.

A importância do Campeonato Carioca foi arrasadora para o Campeonato Fluminense. Com a proximidade dos grandes clubes da capital, os melhores jogadores iam com maior velocidade para lá. A torcida também. E, em 1941, o clube de maior torcida de Niterói – o Canto do Rio – também conseguiu licença especial para jogar o Campeonato Carioca por ter se profissionalizado (em Niterói todos os clubes eram amadores). O Campeonato Fluminense se desenvolveu, assim, como um torneio de segundo nível. Por vezes foi interrompido, por vezes foi jogado em chaves regionais. Hoje é difícil chegar a um consenso de todos os campeões fluminenses; quais títulos eram estaduais, quais não eram? A própria página da FERJ não é esclarecedora nesse ponto, só falando de campeões a partir de 1952 (mesmo assim divergindo de fontes confiáveis). Quando ocorreu a fusão em 1975 a disparidade das equipes da capital e do interior era tão grande que o Campeonato Fluminense foi mantido separado até 1978. A partir de 1979, já com um estadual só, nunca um time de fora do Rio de Janeiro conseguiu ser campeão. E, se alguns times campeões do interior como Americano (Campos), Goytacaz (Campos) e Serrano (Petrópolis) lutam a duras penas para manter o funcionamento, todos – sim, todos mesmo – os campeões de Niterói, que é do lado do Rio, optaram com o tempo por largar o futebol profissional.

Esse fato, entretanto, não justifica rasgar essa página da história do nosso futebol. Por isso, segue abaixo alguns dados do campeonato.

– Maiores Campeões:

Como foi dito, a contagem varia muito. Houve épocas em que o campeonato era disputado por seleções municipais e o município campeão indicava o clube representante do estado, por exemplo. Mas, considerando todos os possíveis campeões (até naqueles títulos duvidosos), chega-se a um resultado peculiar: embora somados todos os clubes niteroienses a cidade tenha o maior número geral de títulos fluminenses, atrapalhado pela concorrência do Rio de Janeiro Niterói era a única capital que não conseguiu emplacar o maior campeão estadual, essa honra ficando ao Goytacaz (9 títulos), seguido de perto pelo Americano (8), ambos de Campos.

No link abaixo pode baixar um arquivo com estatísticas dos Campeonatos Carioca e Fluminense, com campeões ano a ano, número de título dos clubes e fases do estadual.

Estatísticas Campeonato Carioca-Fluminense

– Maiores Clássicos:

Capital:

O primeiro clássico de Niterói, das décadas de 1910/30. Ambos os times estão licensiados hoje.

O clássico de Niterói de mais títulos, embora as equipes tenham seus auges em épocas diferentes.

O clássico da “traição”. Maior rivalidade da cidade, a torcida do Fonseca acusava o Canto do Rio de trair Niterói por jogar no Campeonato Carioca. O Canto do Rio, por isso, ganhou apenas 1 Campeonato Fluminense. Ambos ficaram licenciados em 2009, mas tem planos de voltar às disputas das divisões inferiores do futebol carioca em futuro próximo.

Campos:

“Goytacano”, o clássico dos maiores campeões e o único que os dois times se mantém até hoje. É para muitos o maior clássico fluminense.

Petrópolis:

A serra também tinha seu clássico. Dos dois, o Serrano ainda sobrevive no futebol federado.

CAMPEONATO CARIOCA (1) CAMPEONATO FLUMINENSE (1)
2009 Flamengo
2008 Flamengo
2007 Flamengo
2006 Botafogo
2005 Fluminense
2004 Flamengo
2003 Vasco da Gama
2002 Fluminense
2001 Flamengo
2000 Flamengo
1999 Flamengo
1998 Vasco da Gama
1997 Botafogo
1996 Flamengo
1995 Fluminense
1994 Vasco da Gana
1993 Vasco da Gama
1992 Vasco da Gama
1991 Flamengo
1990 Botafogo
1989 Botafogo
1988 Vasco da Gama
1987 Vasco da Gama
1986 Flamengo
1985 Fluminense
1984 Fluminense
1983 Fluminense
1982 Vasco da Gama
1981 Flamengo
1980 Fluminense
1979 Flamengo e                                      Flamengo * (2)
1978 Flamengo Goytacaz
1977 Vasco da Gama Manufatora
1976 Fluminense Central
1975 Fluminense Americano
1974 Flamengo Sapucaia
1973 Fluminense Barbará
1972 Flamengo Barbará
1971 Fluminense Central
1970 Vasco da Gama Central
1969 Fluminense Americano
1968 Botafogo Americano
1967 Botafogo Goytacaz
1966 Bangu Goytacaz
1965 Flamengo Americano
1964 Fluminense Americano e Eletrovapo*
1963 Flamengo Goytacaz
1962 Botafogo Fonseca e Rio Branco*
1961 Botafogo Fonseca e                 Rio Branco*
1960 América Fonseca e      Goytacaz*
1959 Fluminense Fonseca
1958 Vasco da Gama Manufatora
1957 Botafogo Fonseca, Adrianino e Goytacaz*
1956 Vasco da Gama Serrano, Coroados e Campos*
1955 Flamengo Frigorífico e Goytacaz*
1954 Flamengo Coroados e Americano*
1953 Flamengo Barra Mansa, Goytacaz, Fonseca e Barra Mansa*
1952 Vasco da Gama Adrianino
1951 Fluminense Adrianino
1950 Vasco da Gama Adrianino
1949 Vasco da Gama Cascatinha
1948 Botafogo Cascatinha
1947 Vasco da Gama Americano
1946 Fluminense Internacional
1945 Vasco da Gama Serrano
1944 Flamengo Petropolitano
1943 Flamengo Icaraí
1942 Flamengo Royal
1941 Fluminense Icaraí
1940 Fluminense Goytacaz e desconhecido
1939 Flamengo Americano
1938 Fluminense Fluminense de Niterói
1937 Fluminense Alliança
1936 Fluminense e       Vasco da Gama * Alliança
1935 América e         Botafogo * Ypiranga
1934 Botafogo e             Vasco da Gama * desconhecido
1933 Botafogo e           Bangu * Canto do Rio
1932 Botafogo Fluminense de Niterói
1931 América Ypiranga
1930 Botafogo Ypiranga e            Fluminense de Niterói
1929 Vasco da Gama Ypiranga
1928 América Ypiranga
1927 Flamengo Gragoatá
1926 São Cristóvão Elite
1925 Flamengo Byron e            Serrano*
1924 Fluminense e      Vasco da Gama * Byron e                Byron*
1923 Vasco da Gama Barreto
1922 América Byron
1921 Flamengo Barreto
1920 Flamengo Fluminense de Niterói
1919 Fluminense Fluminense de Niterói
1918 Fluminense Nichteroyense
1917 Fluminense Odeon
1916 América Parnahyba
1915 Flamengo Ararigboya
1914 Flamengo
1913 América
1912 Botafogo e    Paysandu *
1911 Fluminense
1910 Botafogo
1909 Fluminense
1908 Fluminense
1907 Fluminense e Botafogo
1906 Fluminense
Contagem de títulos
Obs.: *Dois campeonatos no mesmo ano; (1) Etapas do Campeonato Carioca: 1906/60, Camp. Metropolitano; 1952/78, Camp. do Estado do Rio de Janeiro (que não incluía a cidade do Rio de Janeiro); 1961/78, Camp. do Estado da Guanabara; 1979/…, Camp. do Estado do Rio de Janeiro (unificado); (2) Apesar da unificação do estado em 1975, as duas federações (FCF/GB e FFD/RJ) só se uniram, virando FFERJ, em 1979. (3) Em azul, títulos estaduais antes da fusão das federações. (4) Em verde, títulos depois da fusão. (5) Em vermelho, representantes do Estado indicados após campeonatos disputados por seleções municipais.
Flamengo (Rio de Janeiro) 31 (18/13) Goytacaz (Campos)           9 (8/1/0)
Fluminense (Rio de Janeiro) 30 (23/7) Americano (Campos)          8 (6/2/0)
Vasco da Gama (Rio de Janeiro) 22 (14/8) Fonseca (Niterói)                  6 (6/0)
Botafogo (Rio de Janeiro) 18 (14/4) Fluminense (Niterói)           5 (2/3/0)
América (Rio de Janeiro) 7 (7/0) Ypiranga (Niterói)                 5 (0/5/0)
Bangu (Rio de Janeiro)                2 (2/0) Byron (Niterói)                      4 (4/0)
São Cristóvão (Rio de Janeiro) 1 (1/0) Adrianino (Eng°. Paulo de Frontin) 4 (3/1/0)
Paysandu (Rio de Janeiro) 1 (1/0) Serrano (Petrópolis)            3 (3/0)
Central (Barra do Piraí)       3 (3/0)
Manufatora (Niterói)             2 (2/0)
Barra Mansa (Barra Mansa) 2 (2/0)
Rio Branco (Campos)           2 (2/0)
Icaraí (Niterói)                       2 (2/0)
Coroados (Valença)           2 (2/0)
Barbará (Barra Mansa)          2 (2/0)
Barreto (Niterói)                   2 (2/0)
Alliança (Campos)               2 (0/2/0)
Cascatinha (Petrópolis)     2 (0/2/0)
Campos (Campos)              1 (1/0)
Petropolitano (Petrópolis) 1 (1/0)
Royal (Barra do Piraí)            1 (1/0)
Frigorífico (Mendes)           1 (1/0)
Eletrovapo (Niterói)             1 (1/0)
Sapucaia (Campos)               1 (1/0)
Ararigboya (Niterói)               1 (1/0)
Elite (Niterói)                         1 (1/0)
Gragoatá (Niterói)               1 (1/0)
Nichteroyense (Niterói)        1 (1/0)
Odeon (Niterói)                     1 (1/0)
Parnahyba (Niterói)               1 (1/0)
Canto do Rio (Niterói)           1 (0/1/0)
Internacional (Petrópolis) 1 (0/1/0)
Anúncios

2 Respostas to “Campeonato Fluminense: o estadual esquecido”

  1. Douglas Anholeti Says:

    Show pessoal, futebol é história!

  2. Cesar Says:

    Caramba, que interessante, nem tinha idéia…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: