Futebol na Altitude – Um Esporte para Todos

boliviabrasil1

É sempre a mesma coisa. Quando algum time brasileiro ou a própria seleção vão jogar em algum lugar com altitude elevada, comentaristas, repórteres e locutores começam o alarde, se enchendo de razão no que parece ser uma desculpa prévia para um possível fracasso. Frases como “jogar na altitude é impossível, é desumano” e “perdeu para a altitude” são rotineiras e, além de desrespeitar o adversário, a história prova que são falsas.

Em 2007, após pressão de Brasil e Argentina, a FIFA resolveu colocar a altitude em pauta. Após estudos, em maio daquele ano resolveu banir jogos acima de 2.500m. Após pressão da Conmebol, elevou o teto para 2.800m (que liberaria Quito e Bogotá), depois deu aval especial para La Paz e, por fim, descontente com o pedido para o veto ter partido de filiados da Conmebol e o pedido da retirada do veto ter vindo também de filiados da Conmebol, a FIFA retirou o veto em maio de 2008.

O veto à altitude é discriminatório. O futebol é por muito conhecido como o “esporte de todos” exatamente por ser jogado em cada canto do planeta. Limitar o jogo a determinadas altitudes é o fim. Da mesma forma como brasileiros se queixam de jogar na altitude da Bolívia, europeus se queixam de jogar no calor do Rio de Janeiro, já pensou se o futebol só pudesse ser jogado em condições padrões?

Além disso, a história prova que os países de baixa altitude não têm do que se queixar. Se a altitude fosse um fator tão determinante, como explicar o péssimo desempenho de equipes de cidades elevadas na Libertadores e nas Eliminatórias? Elas só têm êxito quando realmente têm um time bom (confira dados no final do artigo). Obviamente não estamos dizendo que a altitude não interfere no jogo, é um item importante a ser considerado para uma preparação, mas não é o fator principal de uma partida. João Saldanha relata que em 1969, a fazer a preparação da Seleção para o confronto com a Colômbia em Bogotá, ficou 20 dias na cidade e fez amistoso contra equipes locais. O calendário corrido de hoje não permite mais isso, mas nem assim o sucesso das equipes de altitude tem crescido.

Vale ressaltar que as instituições que mais reclamam da altitude já tiveram feitos em terras altas. O Flamengo, que ameaçou boicotar jogos em altitudes, ganhou a Libertadores em cima do Cobreloa de Calama, jogando uma partida lá. E das duas Copas jogadas na altitude do México, uma ficou com cada opositor da altitude: Brasil em 1970 e Argentina em 1986. Será que eles pediram veto na época? Eu acho que não.

.

Confira algumas estatísticas da altitude:

– Outros esportes tratam também do assunto. A Federação Internacional de Atletismo, por exemplo, permite competição em qualquer lugar, mas não homologa recordes em determinadas condições como velocidade do vento e… acima de 1.000m de altitude (detalhe, para competições de explosão o efeito da altitude é contrário, há ganho de performance pela baixa resistência oferecida pelo ar).

– Se jogar em casa trouxesse um desnível tão grande, como explicar que justamente as seleções que jogam em altitude, Colômbia, Bolívia e Equador, têm o pior aproveitamento de eliminatórias, acima apenas da Venezuela?

– A Colômbia se classificou para apenas 4 Copas, 3 delas na geração de Valderrama, Rincón e companhia (1990, 94 e 98 – a outra oportunidade foi em 1962), sendo que de 1985 a 1999 só em duas oportunidades um clube colombiano não chegou entre os 4 melhores da Libertadores. Como negar que era uma ótima geração?

COLOMBIA

– O Equador só se classificou para a primeira Copa em 2002, repetindo o feito em 2006, quando jogando em baixa altitude na Alemanha, passou para a segunda fase. Em 2008 a LDU ganhou a Libertadores, e perdeu a final do Mundial (jogada quase ao nível do mar) devido à brilhante atuação do goleiro do Manchester, Van der Saar.

EQUADOR

– A Bolívia, maior “beneficiária” da altitude, foi a 3 Copas, mas em apenas uma delas precisou jogar eliminatórias (1994 – em 1930 ela foi convidada e em 1950 não se apresentaram adversários nas eliminatórias). Era a geração de “El Diablo” Etcheverry, até hoje considerada a melhor da Bolívia de todos os tempos.

BOLIVIA

– Se considerarmos que os efeitos da altitude variam de acordo com a elevação, podemos dividir as cidades em altitudes baixas (0m a 1.000m), moderada (1.000m a 2.000m), sensível (2.000m a 3.000m) e severa (> 3.000m), temos o seguinte quadro: a competição de clubes mais importante das Américas já teve 50 campeões, 100 finalistas e 400 semifinalistas, destes nenhum clube de altitude severa chegou sequer entre os quatro melhores, apenas 20 clubes de altitude moderada e sensível chegaram ao menos às semifinais (5%), com apenas 3 títulos (6%).

.

tabela

.

Altitude Moderada

– Campeões: Atlético Nacional COL (Medellín).

– Finalistas: Atlético Nacional COL (Medellín) 2.

– Semifinalistas: Atlético Nacional COL (Medellín) 4; Chivas Guadalajara MEX (Guadalajara) 2; Independiente Medellín (Medellín).

Altitude Sensível:

– Campeões: LDU EQU (Quito); Once Caldas COL (Manizales).

– Finalistas: Cobreloa CHI (Calama) 2; LDU EQU (Quito); Cruz Azul MEX (Cidade do México); Once Caldas (Manizales).

– Semifinalistas: Cobreloa CHI (Calama) 3; Millonarios COL (Bogotá) 2; LDU EQU (Quito) 2; América MEX (Cidade do México) 2; Independiente Santa Fé COL (Bogotá); El Nacional EQU (Quito); Cruz Azul MEX (Cidade do México); Once Caldas (Manizales).

.

– Principais Localidades de Altitude Moderada (1.000m a 2.000m):

COL: Ibagué e Medellín

VEN: Mérida

MEX: Guadalajara, León, Juárez, Torreón, San Luis Potosí, Irapuato e Querétaro

.

– Principais Localidades de Altitude Sensível (2.000 a 3.000):

CHI: Calama

BOL: Sucre e Cochabamba

PER: Arequipa

EQU: Quito, Ibarra, Riobamba e Cuenca

COL: Bogotá e Manizales

MEX: Cidade do México, Toluca, Puebla e Nezahualcoyotl

.

– Principais Localidades de Altitude Severa (>3.000m):

BOL: La Paz, Oruro e Potosí

PER: Cuzco

7 Respostas to “Futebol na Altitude – Um Esporte para Todos”

  1. Vascaino Says:

    O assunto é interessante, entretanto o post da muita ênfase ao desempenho de times “da altitude” ao nível do mar, o que foge do assunto, já que o que está sendo discutido é a dificuldade dos outros times de jogar na altitude.
    Acho que a seguinte estatística ficaria melhor:
    – Jogos da altitude (times locais contra visitantes do nível do mar) X número de vitórias dos times do nível do mar. (fazer a estatística inversa também, para comparar).
    Ai sim mostraria que a altitude não é o principal fator. (ou não né!)

    • Cultura Futebol Clube Says:

      Sim, bom comentário. O que mostramos é apenas que quando os times se destacam na altitude, se destacam também longe dela. Ao mostrarmos os fracassos dos times de altitude em Eliminatórias e Libertadores, lembramos que eles sempre jogam em casa (na altitude) e nem por isso tem sucesso. E vale lembrar exemplos que demos de Flamengo, Argentina e Brasil, que reclamam da altitude, mas tiveram grandes conquistas lá.

  2. Douglas Anholeti Says:

    Israel joga as eliminatórias na Europa, a Austrália joga na Ásia. Essa é a FIFA.

  3. Cultura Futebol Clube Says:

    Mais um dado interessante da última eliminatória. A Bolívia ganhou seus 4 jogos em casa. Bom! Mas contra Peru (lanterna), uma Argentina capenga, Paraguai com time reserva e um Brasil já classificado que, convenhamos, não se esforçou em nada. Um mês depois de meter 6 a 1 na Argentina, a mesma Bolívia perdeu para a Venezuela em La Paz (além de derrotas para Equador e Chile).

  4. Antonio Says:

    Discordo de vc, mas respeito a sua opinião.

    A altitude é um fato determinante.
    Estive vendo os jogos da LDU nos ultimos anos e tem-se confrontos interessantes:

    LDU 3×0 Penarol
    Penarol 4×1 LDU

    Danubio 3×0 LDU
    LDU 1×1 Danubio

    LDU 2×1 River Plate
    River Plate 4×2 LDU

    Rocha 3×2 LDU
    LDU 5×0 Rocha

    Tacuari 0×0 LDU
    LDU 3×0 Tacuari

    LDU 3×1 Colo Colo
    Colo Colo 4×0 LDU

    Boca Juniors 4×0 LDU
    LDU 1×1 Boca Juniors

    LDU 1×1 Colo-Colo
    Colo-Colo 3×0 LDU

    Todas as partidas foram realizadas na mesma competição e ano.
    Não estou dissendo que LDU é um time fraco, pelo contrario é um time muito forte. A grande questão é que historicamente os times de altitude são quase sempre muito fracos. Lembro como o exemplo o Fla na libertadores de 2006/07[?] em que teve jogadores desmaiando em campo, que não conseguiam correr e tinham tonturas por causa da falta de ar. O time era tão ruim que depois de estar ganhado de 2×0 o time conseguiu deixar o fla empatar. Como ser a favor da altitude?

    Sei que tem a questão do “esporte de todos”. tudo bem. Acontece que quando um Europeu vem jogar no calor do Brasil ele joga a noite e para um amistoso. Na Copa os jogadores terão uma preparação para o clima brasileiro e haverá “um tempo de adaptação”. Nunca vi um time europeu jogar na europa num frio de 10 graus e dias depois desembarcar no rio num calor de 40 graus. O favorecimento do clima nestas condições não são tamanhas em relação ao favorecimento dado a altitude.

    Jogos importantes a serem realizados na altitude devem ter um tratamento especial. NÃO SOU A FAVOR DE ABOLIR JOGOS NA ALTITUDE. Acho que a federação deve permitir que o time visitante possa ter “um tempo de adaptação” na altitude.

    Se você nunca ouviu falar dos efeitos da altitude, aqui vai uma leitura:
    http://mundoestranho.abril.com.br/saude/pergunta_287885.shtml

    http://360graus.terra.com.br/montanhismo/default.asp?did=467&action=dica

    Aqui vai uma palavrinha do Dunga:

    “Não acho desumano jogar aqui, desde que se tenha tempo para adaptação. É por isto que aqui não tem nenhuma competição de atletismo organizada pelo COI (Comitê Olímpico Internacional), porque não se tem o tempo de adaptação dos atletas”, disse Dunga após a derrota, válida pela penúltima rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010.

    E para finalizar:

    http://veja.abril.com.br/idade/exclusivo/perguntas_respostas/altitudes/index.shtml#5

    Enfim, este teu argumento que times já foram campeões na altitude é muito superficial, ninguém disse que quem vai jogar na altitude vai perder, pode ganhar até de goleada. Mas o fato que a altitude FAVORECE E EM MUITO OS DONOS DA CASA.

    • Cultura Futebol Clube Says:

      Muito interessante, Antonio. Seu comentário é quase um artigo em resposta, e muito bem embasado, ficamos gratos pela contribuição. Pode não parecer, mas acho que concordamos em pontos fundamentais: ambos concordamos em ser contra abolir jogos em altitude, que o tempo de adaptação é importante e que a altitude é sim fator relevante. A discordância vem na questão do nível de favorecimento que ela traz para os mandantes. Obrigado pela participação e pelas indicações de leitura, muito boas.

      Ah, vale lembrar que tivemos Olimpíadas (que pelo tamanho do evento permite tempo de adaptação) na Cidade do México, a 2.200 metros de altitude, por baixo. Bogotá concorre com força – contra Lima e Toronto – para o Pan de 2015, a 2.600 metros.

      P.S.: E parabéns aos jogadores do Fluminense, que ao término do jogo contra a LDU não colocaram toda a culpa na altitude, como de praxe no Brasil.

  5. Aconteceu no Mundo da Bola « Says:

    […] Cultura FC é a favor do futebol como um esportes para todos, seja jogado na altitude, no frio, no deserto e até mesmo com véu. Se você concorda ou não com o tratamento dado às […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: