O que a América do Sul pode esperar

13/10/2011

Forlán marcou um gol histórico contra o Paraguai, virando o maior artilheiro da história da celeste.

Ah, as maravilhas da internet. Graças a ela eu realmente posso fazer uma boa análise das primeiras rodadas das eliminatórias, pois assisti a quase todas as seleções em campo. E, como já era esperado, o equilíbrio foi evidente com o mando de campo sendo fundamental (6 vitórias de mandantes, 1 empate e 1 derrota). Essa deve ser a tônica nos próximos 2 anos, mas já dá para fazer uma rápida análise. Clique abaixo e leia na continuação do post.

Continue lendo »

Acabou o respeito

12/10/2011

Venezuela 1, Argentina 0. Mais surpreendente que o placar é saber que poderia ter sido mais. Um resultado histórico, pois agora todas as seleções da Conmebol já se derrotaram mutuamente (para quem não se lembra, há 3 anos a mesma Venezuela derrotou o Brasil em um amistoso). O último passo para uma quebra total de hierarquia no continente é a seleção vinotinto conseguir se classificar para uma Copa, feito que só a ela falta. E eles provaram que vão tentar com todos as forças desta vez. E sem respeitar nenhum adversário.

O maior do mundo

12/10/2011

Projeção do "Maior do Mundo" pós-reforma.

O Maior do Mundo. Uma alcunha digna de apenas um estádio de futebol no mundo: o Maracanã.

Mas peraí, o Maracanã depois de várias reformas e reduções de capacidade por motivos de segurança deixou há muito de ser o maior estádio de futebol do mundo. O Azteca, o Novo Wembley, o Soccer City, todos são maiores que ele. Afinal, qual o maior estádio do mundo da atualidade?

Por incrível que pareça (e também por não ter normas tão rígidas de segurança), ele fica na Coréia do Norte, na capital Pyongyang. O Estádio Rungrado May Day tem capacidade nominal atual para 150.000 pessoas e é famoso por, além de receber futebol, ser palco daqueles espetáculos sincronizados do público (e, justiça seja feita, tem uma bela arquitetura).

O Rungrado May Day, em Pyongyang, Coréia do Norte.

E quase o dobro da capacidade prevista do Maracanã pós-reforma de 82.500. Mas ainda é menos do que a capacidade que o Maracanã já teve. Mas o apelido “Maior do Mundo” também não pode vir daí, porque o fechado Estádio Strahov em Praga tinha capacidade de 220.000 pessoas.

Porém o Strahov não era muito bom para o público exatamente por ser muito grande (hoje o local é o centro de treinamento do Sparta Praha com incríveis 9 campos!), o que dificultava a visão do público. Sua capacidade total nunca foi atingida em jogos de futebol.

O Strahov, em Praga, República Tcheca.

E é exatamente este o grande feito do Maracanã, que o garante a eternização do apelido: o público recorde da história do futebol de 199.854 no Brasil e Uruguai de 1950. Esse é difícil de repetir. Uma marca do nosso único e verdadeiro Maior do Mundo.

O cinturão dos pesos pesados do futebol

04/10/2011

Dia 7 de outubro, próxima sexta, o Japão entra em campo para defender o seu título mundial no futebol. Não, não estamos falando de futebol feminino, esse especial aqui do site já passou. É a equipe masculina principal mesmo, que detém atualmente o título do Campeonato Mundial Não-Oficial de Futebol. Para saber mais, clique abaixo e leia o resto do post.

Continue lendo »

Publicidade É Jogo Duro

23/08/2011

Para quem não sabe, a editoria aqui do blog é de publicitários. E o Vogas participou da criação na Prósper, agência onde trabalha, de uma série de humor ligando esses dois universos: publicidade e futebol. O resultado você vê nos quatro episódios abaixo.

Cultura Recomenda – nº 15

17/08/2011

O GE.com traz um prato cheio para quem gosta de estatística. Um estudo detalhado que mostra os números da cera no futebol brasileiro. Clique aqui e confira a matéria na integra.

 

Cultura Recomenda – nº 14

12/08/2011

O Esporte Espetacular exibiu há um tempo atrás uma matéria interessante, que conta a história da criação do pênalti. Confira abaixo.

Prensada é da defesa

10/08/2011

Impedimento? Substituição? Árbitro, técnico e desconto? Tudo isso passa muito longe de onde acontece a maior parte dos jogos de futebol: os campos de pelada. Lá, as regras e ditados podem não ser exatamente do jeito que você aprendeu.

– A regra mais polêmica do futebol: mexeu o chinelo, é trave. Mas e se for na parte de dentro?

– A regra mais confusa: pediu, parou. Mas e se o cara pediu e não foi?

– A regra mais lendária: prensada é da defesa.

– Se ninguém é goleiro, tem que fazer rodízio. Aí é um cá ou dois lá. Mas se frangar, agarra outro.

– E se é furingo, não vale ter “goleiro”.

– O jogo só termina quando acaba. Ou seja, com cinco minutos… ou sete… ou dez. Ou com dois gols, o que vier primeiro.

– O código de ética: o que acontece em campo, fica em campo.

– Um grande clássico: casados contra solteiros.

– O maior clássico: com camisa contra sem camisa. E você passa de um time para o outro sem ter torcida pegando no seu pé (até porque quase sempre não tem torcida alguma).

– No inverno, antes do jogo se escolhe camisa ou bola.

– Empate não é um bom resultado, porque se empatar saem os dois.

– Eu já vi par ou ímpar mais tenso que partida de pênaltis.

– Sempre tenha um bom batedor – de par ou ímpar – no seu time.

– E o time que marcar o último gol é campeão do mundo.

E aí, ouvinte, tá gostando?

09/08/2011

O FUTEBOL E O RÁDIO

Há muito tempo estava com saudade de um grande companheiro de torcida, que me levava aos estádios de todo o Brasil: o rádio. Nos dias de hoje em que pay-per-views da vida levam para a TV quase todos os jogos importantes do país – o que é muito bom, diga-se de passagem –, confesso que fui visitando cada vez menos meu bom e velho radinho, ao qual passava pelo menos duas horas grudado nos fins de semana.

Mas há situações em que ele ainda é fundamental. Na rua, no carro. Pena que meu celular só pega FM e o rádio do meu carro pega AM muito mal. E transmissão de rádio de verdade é com José Carlos Araújo, o Garotinho, e toda a equipe da Rádio Globo. É uma pena ver os “torcedores do futuro” (nome dado às crianças convidadas para as transmissões) já não conhecerem esse veículo tão importante na crônica esportiva e nem os seus ícones. A emoção de ouvir o jogo no rádio é indescritível.

E em que transmissão de TV você imaginaria o seu comentarista ameaçando ir embora, como Gérson já fez ao ver o técnico do Flamengo tirar o Júnior (o mais novo, não o Maestro) que, para ele, era o melhor em campo? Em que narração você vê o repórter/comentarista se dirigir diretamente ao atleta para dar uma bronca, como o famoso “pára com isso” do Gilson Ricardo?

Mas na última quarta não teve jeito. No meu carro, ao descobrir que a CBN (que é FM) não passava o jogo do meu time, apelei para a AM. É, Garotinho, confesso que me emocionei quando meu time foi ao ataque e você narrou “apontou, atirou… ENTROU!” Mais do que o gol, foi como reencontrar um velho amigo. E entre uma interferência e outra, fui me sentindo novamente no estádio através do meu rádio. E quando você mandou “você ao volante, obrigado pela carona que me dá”, não teve como não responder: obrigado a VOCÊ pela carona.

José Carlos Araújo (obs.: na primeira foto, o radialista era Ary Barroso).

Siga o resto do post clicando abaixo e confira bordões e narrações de Garotinho.

Continue lendo »

Especial Futebol Feminino – Atualização

02/08/2011

Sugestão de Juliana Bourguignon

Atualizamos o álbum de figurinhas das Copas do Mundo Femininas com os dados da Copa de 2011. Siga o link abaixo para conferir.

CLIQUE AQUI.